Dicas de saúdeSaúde

É seguro usar maconha durante a amamentação?

Algumas mulheres usam maconha para controlar os efeitos colaterais da gravidez, lidar com a ansiedade ou dormir melhor. Muitos também esperam que possam fazê-lo com segurança durante a amamentação.

De acordo com pesquisa realizada em 2017 em um grupo de mulheres grávidas na Califórnia, cerca de 7% das mulheres entrevistadas usaram maconha. Pesquisas sugerem que a maconha pode entrar no leite materno, o que significa que pode não ser seguro usar durante a amamentação.

No entanto, pouca pesquisa está disponível, e grande parte da pesquisa que existe é incompleta, mal projetada ou muito desatualizada. Neste artigo, saiba se é seguro usar maconha durante a amamentação, bem como os possíveis riscos para o bebê.

É seguro usar maconha durante a amamentação?

O corpo metaboliza a maconha muito lentamente, ao contrário de outras drogas e álcool.

Ele armazena a maconha nas células de gordura, o que significa que pode permanecer no corpo por semanas ou mais.

Porque o corpo usa gordura para fazer leite materno, a maconha pode passar para o leite e para o bebê. Isso significa que a maconha que entrou na corrente sanguínea semanas antes ainda pode entrar no leite materno.

A pesquisa geralmente se concentra em quanto a maconha passa para o bebê e se é prejudicial. Muitos estudos mais antigos mostraram que a maconha passa para o bebê e pode ter efeitos adversos.

No entanto, muitos estudos sobre o uso de maconha durante a amamentação falharam em considerar outros fatores. Esses fatores podem incluir a exposição ao fumo passivo, a saúde das mulheres que usam maconha e a quantidade de maconha que elas usam.

Essa falta de pesquisa torna difícil para os médicos oferecerem recomendações sobre maconha e amamentação, ou para avaliar se alguma quantidade de maconha pode ser segura para bebês amamentados. No entanto, é melhor errar do lado da cautela.

Alguns riscos potenciais do uso de maconha durante a amamentação incluem:

  • Problemas de desenvolvimento: Alguns estudos sugerem que a exposição à maconha pode afetar o desenvolvimento do movimento, coordenação e força de um bebê. Outra pesquisaindica que também pode afetar o desenvolvimento intelectual.
  • Aleitamento materno por menos tempo: Algumas pesquisas descobriram que as mulheres que fumavam maconha não amamentavam por tanto tempo quanto as mulheres que não amamentavam.
  • Ganho de peso lento: a maconha pode deixar o bebê com sono . Isso pode significar que o bebê come menos e se desenvolve mais lentamente. Em baixo peso ao nascer e prematuros, o ganho de peso lento pode apresentar sérios riscos.
  • Consciência reduzida: A maconha pode afetar a consciência de uma pessoa, comprometendo sua capacidade de cuidar de um bebê.

Um estudo de 2018 sugere que os bebês receberão cerca de 2,5% dos químicos ativos da maconha através do leite materno. No entanto, o estudo não analisou os efeitos nos bebês. Além disso, analisou apenas oito mulheres que amamentavam, o que significa que o estudo era pequeno demais para tirar conclusões sobre níveis seguros de uso.

Os produtos químicos ativos na maconha se acumulam no corpo com mais uso, então o uso freqüente de maconha é mais provável de ser prejudicial.

A amamentação das mulheres que tomam decisões sobre a maconha deve saber que nem todos os estudos encontraram uma ligação entre a maconha e os resultados adversos.

Uma revisão de 2014 encontrou apenas um estudo em humanos que relacionou a exposição à maconha no leite materno a questões de desenvolvimento.

Uma revisão de 2017 analisou seis estudos anteriores, incluindo estudos em animais. Quatro dos estudos associaram o uso de maconha durante a amamentação com efeitos adversos.

No entanto, nenhum estudo acompanhou os bebês durante vários anos para determinar os efeitos desenvolvimentais de longo prazo, por isso é impossível dizer se usar maconha enquanto a amamentação é segura ou não. Como não podemos garantir a segurança, é melhor evitar a maconha.

A Dra. Heather Bradshaw é especialista em farmacologia de canabinóides no Departamento de Ciências Psicológicas e do Cérebro da Universidade de Indiana . Ela acredita que não há nível seguro de consumo durante a amamentação, pois isso pode levar a problemas de desenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo