Dicas de saúdeDoenças viralSaúde

Síndrome de Reye – Problemas de saúde em crianças

A síndrome de Reye (Reye) é uma condição rara, mas grave, que causa inchaço no fígado e no cérebro. A síndrome de Reye geralmente afeta crianças e adolescentes em recuperação de uma infecção viral, mais comumente a gripe ou varicela.

Sinais e sintomas como confusão, convulsões e perda de consciência requerem tratamento de emergência. O diagnóstico e o tratamento precoces da síndrome de Reye podem salvar a vida de uma criança.

A aspirina tem sido associada à síndrome de Reye, portanto, tenha cuidado ao administrar aspirina a crianças ou adolescentes por febre ou dor. Embora a aspirina seja aprovada para uso em crianças acima de 3 anos de idade, crianças e adolescentes em recuperação de catapora ou sintomas semelhantes aos da gripe nunca devem tomar aspirina.

Para o tratamento da febre ou da dor, considere administrar medicamentos para febre e analgésicos sem receita médica, como acetaminofeno (Tylenol, outros) ou ibuprofeno (Advil, Motrin, outros) como uma alternativa mais segura à aspirina. Fale com o seu médico se tiver preocupações.

Sintomas

Na síndrome de Reye, o nível de açúcar no sangue de uma criança geralmente cai enquanto os níveis de amônia e acidez no sangue aumentam. Ao mesmo tempo, o fígado pode inchar e desenvolver depósitos de gordura. O inchaço também pode ocorrer no cérebro, o que pode causar convulsões, convulsões ou perda de consciência.

Os sinais e sintomas da síndrome de Reye geralmente aparecem cerca de três a cinco dias após o início de uma infecção viral, como gripe (gripe) ou varicela, ou uma infecção respiratória superior, como um resfriado.

Sinais e sintomas iniciais

Para crianças menores de 2 anos, os primeiros sinais da síndrome de Reye podem incluir:

  • Diarréia
  • Respiração rápida

Para crianças e adolescentes mais velhos, os primeiros sinais e sintomas podem incluir:

  • Vômito persistente ou contínuo
  • Sonolência incomum ou letargia

Sinais e sintomas adicionais

À medida que a condição progride, sinais e sintomas podem se tornar mais graves, incluindo:

  • Comportamento irritável, agressivo ou irracional
  • Confusão, desorientação ou alucinações
  • Fraqueza ou paralisia nos braços e pernas
  • Convulsões
  • Letargia excessiva
  • Diminuição do nível de consciência

Esses sinais e sintomas requerem tratamento de emergência.

Quando consultar um médico

O diagnóstico e o tratamento precoces da síndrome de Reye podem salvar a vida de uma criança. Se você suspeita que seu filho tem síndrome de Reye, é importante agir rapidamente.

Procure ajuda médica de emergência se seu filho:

  • Tem convulsões ou convulsões
  • Perde a consciência

Entre em contato com o médico do seu filho se ele apresentar o seguinte após um ataque de gripe ou varicela:

  • Vômitos repetidamente
  • Torna-se incomumente sonolento ou letárgico
  • Tem mudanças repentinas de comportamento

Causas

A causa exata da síndrome de Reye é desconhecida, embora vários fatores possam desempenhar um papel em seu desenvolvimento. A síndrome de Reye parece ser desencadeada pelo uso de aspirina para tratar uma doença ou infecção viral – particularmente gripe (gripe) e varicela – em crianças e adolescentes com um distúrbio subjacente à oxidação de ácidos graxos.

Os distúrbios da oxidação de ácidos graxos são um grupo de distúrbios metabólicos herdados nos quais o corpo não consegue quebrar os ácidos graxos porque uma enzima está ausente ou não está funcionando adequadamente. É necessário um teste de triagem para determinar se seu filho tem um distúrbio de oxidação de ácidos graxos.

Em alguns casos, a síndrome de Reye pode ser uma condição metabólica subjacente desmascarada por uma doença viral. A exposição a certas toxinas – como inseticidas, herbicidas e diluente – também pode contribuir para a síndrome de Reye.

Fatores de risco

Os seguintes fatores – geralmente quando ocorrem juntos – podem aumentar o risco de seu filho desenvolver a síndrome de Reye:

  • Uso de aspirina para tratar uma infecção viral, como gripe, varicela ou infecção respiratória superior
  • Tendo um distúrbio de oxidação de ácidos graxos

Complicações

A maioria das crianças e adolescentes com síndrome de Reye sobrevive, embora sejam possíveis graus variáveis ​​de dano cerebral permanente. Sem diagnóstico e tratamento adequados, a síndrome de Reye pode ser fatal dentro de alguns dias.

Prevenção

Tenha cuidado ao dar aspirina a crianças ou adolescentes. Embora a aspirina seja aprovada para uso em crianças acima de 3 anos de idade, crianças e adolescentes em recuperação de catapora ou sintomas semelhantes aos da gripe nunca devem tomar aspirina. Isso inclui aspirina simples e medicamentos que contêm aspirina.

Alguns hospitais e instalações médicas realizam exames de recém-nascidos em busca de distúrbios da oxidação de ácidos graxos para determinar quais crianças correm maior risco de desenvolver a síndrome de Reye. Crianças com distúrbios conhecidos de oxidação de ácidos graxos não devem tomar aspirina ou produtos que contenham aspirina.

Sempre verifique o rótulo antes de dar medicamentos ao seu filho, incluindo produtos vendidos sem receita e remédios alternativos ou à base de plantas. A aspirina pode aparecer em alguns lugares inesperados, como o Alka-Seltzer.

Às vezes, a aspirina também tem outros nomes, como:

  • Ácido acetilsalicílico
  • Acetilsalicilato
  • Ácido salicílico
  • Salicilato

Para o tratamento de febre ou dor relacionada à gripe, varicela ou outra doença viral, considere administrar medicamentos para febre e analgésicos sem receita médica para crianças pequenas ou crianças como acetaminofeno (Tylenol, outros) ou ibuprofeno (Advil, Motrin, outros) como uma alternativa mais segura à aspirina.

Há uma ressalva à regra da aspirina, no entanto. Crianças e adolescentes que têm certas doenças crônicas, como a doença de Kawasaki, podem precisar de tratamento a longo prazo com medicamentos que contêm aspirina.

Se seu filho precisar de terapia com aspirina, verifique se as vacinas estão atualizadas – incluindo duas doses da vacina contra varicela (varicela) e uma vacina anual contra a gripe. Evitar essas duas doenças virais pode ajudar a prevenir a síndrome de Reye.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo